Google+ Badge

sábado, 21 de julho de 2012

Estatua de Renato Russo na Ilha

Inauguração da estátua do cantor Renato Russo é neste sábado (21)

20/07/2012 - Notícias /Edição 1581
 

 


É neste sábado (21), às 10h, a inauguração da estátua do Renato Russo que vai ocupar o local onde ficava o obelisco abandonado, demolido no final do mês de junho, na Estrada do Galeão, próximo ao Hortifruti. A estátua é uma homenagem ao cantor que viveu parte da sua infância na região e compôs a música "Giz" em lembranças a estes momentos. Em tamanho natural, a estátua feita em bronze, tem 1,75m e 250 kg. É obra do cartunista Ique, que a chama de "cariscultura". O evento terá a presença de familiares do Renato Russo e de fãs do cantor, que vão continuar as homenagens, a partir das 16h, na Lona Cultural Renato Russo, no Cocotá, com debates, exibição de documentários e shows dos sucessos do cantor na banda Legião Urbana.




Líder da banda Legião Urbana ganha
estátua de bronze no Rio

A inauguração na Ilha do Governador contará com shows e recital de poemas
Secretaria da Conservação/Divulgação
Renato-russo-700
O cartunista Ique posa ao lado da estatua
 

Um dos maiores nomes da música brasileira ganhará neste sábado (21) homenagem no Rio de Janeiro 16 anos após sua morte: uma estátua de bronze do cantor Renato Russo, líder da banda de rock Legião Urbana, será inaugurada na Ilha do Governador. O cantor morou no bairro, na zona norte da cidade.
A peça de bronze, mostrando o autor de Faroeste Caboclo soltando o vozeirão no microfone, tem 1,75 metro, 250 kg e foi esculpida pelo cartunista e escultor Ique. A Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos e a Subprefeitura da Ilha do Governador instalaram a estátua em um palco de granito na Estrada do Galeão.
Para marcar a inauguração, haverá uma programação com shows, recital de poemas e a participação da família do artista. Também foram convidados o instrumentista Fred Nascimento, que tocou em shows e gravou como músico de apoio da Legião, e o ator Thiago Mendonça, intérprete do cantor no filme Somos Tão Jovens, com previsão de lançamento ainda neste ano. As festividades incluem programação especial na Lona Cultural Renato Russo, também na Ilha, durante todo o fim de semana.
A estátua foi instalada no local onde havia um chafariz de vidro, que estava há anos desativado. Além da instalação da estrutura de granito onde ficará a peça de bronze, o espaço foi revitalizado.

"Religião" Urbana

Acompanhado de Dado Villa-Lobos (guitarra), Renato Rocha (baixo) e Marcelo Bonfá (bateria), Renato Manfredini Júnior, o Renato Russo, estourou no início dos anos 80 à frente da Legião Urbana e, em pouco tempo, tornou-se um dos artistas de rock mais idolatrados do País. A paixão é tanta que muitos dizem que a adoração da banda e, em particular, de Renato, é como uma religião.
A carreira começou no fim dos anos 70 com o Aborto Elétrico, em Brasília. A banda, que não gravaria nenhum LP, em pouco tempo seria desfeita após uma briga entre Renato e um dos integrantes, dando origem à Legião e ao Capital Inicial.
Aliás, a fama de brigão e marrento perseguiu o artista até o fim. Ele também detestava se apresentar ao vivo e não escondia do público essa aversão, alimentada por confusões em casas de show e estádios lotados. Mas nenhuma dessas questões incomodava os fãs, que fizeram os oito discos de carreira venderem milhares de cópias.
Russo também gravou dois discos solo, homenageando o cancioneiro americano e italiano. Ele perdeu a batalha contra a Aids em 11 de outubro de 1996, aos 36 anos. Recentemente, os fãs lamentaram o destino do velho companheiro de banda Renato Rocha, o Negrete ou Billy. Expulso da banda por causa do seu comportamento relapso, o baixista foi encontrado mendigando no centro do Rio de Janeiro.





Braz de Pina - 48 anos depois


Na foto acima de 1964, do facebook de Claudio Renato Passavante, vemos o cruzamento da av Arapogi com a Rua Iricumé. A ponte estava em péssimo estado de conservação, sem proteção nas laterais. Deve ter caido muito carro dentro do rio. Alias eu vi muito carro cair dentro desse rio. A esquerda vemos uma ponte de madeira para pedestres, que era bem comum até os anos 80. Dava muito medo atravessar, ja que geralmente faltavam pedaços no meio da ponte. Hoje existe apenas uma, de ferro e com proteção nas laterais, proxima a Escola Maria Fumaça.
O onibus era tipo lotação, provavelmente não existe nenhum similar hoje em dia. Na foto aparece apenas uma arvore plantada na margem do rio, bem diferente de hoje em dia.  



Na foto atual, tentei achar o mesmo angulo do fotografo de 1964. A ponte está bem conservada, as margens estão arborizadas e a prefeitura faz um bom trabalho de manutenção cuidando da capina e poda das arvores. So falta agora despoluir o rio, como era antigamente, mas isso já é bem mais dificil, ja que o esgoto da Arapogi é despejado nele sem nenhum tratamento. Detalhe para o predio em destaque que continua la, agora com outra cor.
Será que a arvore solitaria da foto de 1964 é essa que aparece na foto atual?

quarta-feira, 18 de julho de 2012

De Parada Gambá à Piedade


Em 1873 foi construída  a estação ferroviária do hoje bairro da Piedade. Conta o historiador Andre Nunes: No momento de expansão ferroviária do Império em direção à Zona Norte da cidade do Rio, o Imperador resolveu fazer uma parada em uma região onde havia vários gambás. Por conta disso, o lugar ficou conhecido como Parada Gambá ".
Reza a lenda que a população do bairro, cansada de ser humilhada pelos moradores dos bairros vizinhos, fez correr um abaixo assinado pedindo que trocasse o nome do bairro. Um morador foi até o imperador e pediu: "Por piedade troque o nome do nosso bairro". O imperador levou ao pé da letra o pedido e assim surgiu o bairro de Piedade. História ou estória, o que importa é que o bairro realmente já se chamou Parada Gambá e hoje se chama Piedade.

Igreja de Nossa Senhora da Piedade, inaugurada em 26 de outubro de 1915 pelo Cardeal Arcoverde

                                                   Bonde Piedade - 1950


                                                        Universidade Gama Filho
                                             

                                                    Igreja Divino Salvador


Fontes:
http://www.flickr.com/photos/bethcastelo/3466695081/sizes/z/in/photostream/
Site Piedade Esporte Clube
Blog Curiosidades Cariocas

O preço de um poste

Fotografei hoje esse poste que fica na esquina da rua Guaianases com a rua Aurora na Penha. Uma vergonha, será que trocar esse poste vai custar muito pra prefeitura? Ou o problema é da Rio Luz? Ou será da Light? Quando ele cair talvez nossos vereadores tomem uma providencia.





Alo vereadores taí uma boa oportunidade de colocar aquela famosa faixa: Os moradores agradecem ao vereador fulano de tal pelas melhorias do bairro.

sábado, 14 de julho de 2012

Ceasa - Irajá

                     Ceasa garante 80% da comida que o carioca põe à mesa

‘População’ da ‘cidade’ de Irajá é maior que a de 58 municípios do estado

Publicado:
 

O movimento na Ceasa de Irajá: 1,8 milhão de toneladas de alimentos comercializadas no ano passado
Foto: Felipe Hanower / Agência O Globo 
 
O movimento na Ceasa de Irajá: 1,8 milhão de toneladas de alimentos comercializadas no ano passado Felipe Hanower / Agência O Globo
RIO — Espremida entre a Avenida Brasil e duas comunidades pobres, está uma pequena “cidade” de 1,5 milhão de metros quadrados de área, mas com uma população flutuante de 60 mil pessoas/dia, maior do que a de 58 dos 92 municípios do estado. No entanto, ao contrário de boa parte das nossas cidades-dormitórios (como são conhecidos os municípios da Baixada Fluminense e alguns do interior, onde são poucas as ofertas de emprego), esta não dorme nunca. A Ceasa de Irajá, segunda maior central de abastecimento da América Latina, é hoje responsável por cerca de 80% dos hortifrutigranjeiros que se consome no Rio.
— Ela é responsável pela política de abastecimento do estado, mas também garante a agricultura familiar, que tem aqui um espaço garantido para comercializar seus produtos, além de alavancar o comércio de restaurantes, pequenos mercados e sacolões na capital e em outros municípios do estado. Aqui existe uma cidade que funciona 24 horas — afirma o presidente da Ceasa, Leonardo Brandão.
A Ceasa tem unidades ainda em São Gonçalo, Paty do Alferes, Nova Friburgo, São José do Ubá e Itaocara. A de Irajá — que só perde para a de São Paulo em produtividade — foi responsável pela comercialização de 1,8 milhão de toneladas de alimentos, que geraram cerca de R$ 1 bilhão no ano passado, garantindo renda para atacadistas, agricultores, fretistas, feirantes e comerciantes, entre outros tantos trabalhadores que madrugam para chegar no número 19.001 da Avenida Brasil.
Na última quinta-feira, no pavilhão 31, trabalhadores retiravam a carga de melancias vindas de Tocantins enquanto o motorista dormia na boleia do caminhão.
— Eles levam dois dias para trazer melancia de Tocantins até aqui. É que vêm no rebite (estimulante) — contou um carregador.
A central também conta com um banco de alimentos:
— Nós criamos um banco de alimentos, onde servidores selecionam, embalam e guardam em ambiente refrigerado alimentos que serão doados a cem instituições. Doamos cerca de 80 toneladas por mês — afirmou Leonardo Brandão.

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Igreja de Bom Jesus da Coluna


Fotolog Terra - Zona Norte

Igreja do Bom Jesus

Endereço: Praça General Lamartine
A igreja do Bom Jesus da Coluna está situada na Ilha do Bom Jesus, hoje incorporada à do Fundão. Na ilha existiu também uma casa conventual, que junto com a igreja compunha um conjunto. A ilha foi doada à congregação dos padres franciscanos em 1704, e por isso era também conhecida, como Ilha dos Frades.

O hospício e a Igreja de Bom Jesus tiveram suas obras iniciadas em 1705. Durante a permanência de Dom João VI no Brasil, o local foi muito prestigiado, comemorando-se, ali a festa de São Francisco de Assis, depois o local foi perdendo esta posição de destaque, entrando em declínio.

No período de 1823 e 1850 as dependências do convento foram utilizadas para isolamento, dos portadores de diversas moléstias tais como: os lázaros, e doentes atacados por vários tipos de febre e cólera. Em 1868 o prédio passou a abrigar o Asilo dos Inválidos da Pátria. O convento arruinou-se, restando, hoje em dia, apenas a Igreja que conserva o partido franciscano primitivo - com galilé, nave única e capela-mor profunda. Na fachada os três arcos da galilé são encimados pelas janelas do coro, complementando-a, frontão triangular debruado por volutas rampantes.

A torre sineira colada à fachada tem coroamento feito por elemento bulboso de alvenaria e cinco pináculos. Internamente a Igreja caracteriza-se pela simplicidade de suas paredes lisas, no entanto, o altar-mor com trono e tribuna e os altares laterais tem talha no estilo rococó tardio.
Fonte: http://www.iphan.gov.br



                                                       
Em 2008 a igreja foi totalmente restaurada, conforme noticiou o RJ TV
 
                                                      

Fontes:
Fotos Rick Ipanema
Foto Google Panoramio

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Centro Cultural - Casarão de Braz de Pina

Sergio Dutra publicou na sua pagina do Facebook: 
Solicito o apoio de todos ao projeto Casa de Cultura Dolores Duran, em Braz de Pina, devidamente aprovado e publicado no relatório final do primeiro Plano Estratégico da Cidade. Vai foto, em anexo, da casa que está a venda, no bairro e local ideal para este projeto. Obrigado, pois o apoio de todos é fundamental para a realização deste projeto da maior importância para a região. É só curtir ou compartilhar.