Google+ Badge

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Curta no facebook

Curta Um Coração Suburbano no facebook. 

https://www.facebook.com/pages/Um-Cora%C3%A7%C3%A3o-Suburbano/466122033411766


Fantasmas da Ponte Rio Niteroi


A Ponte Presidente Costa e Silva, popularmente conhecida como Ponte Rio-Niterói, localiza-se na Baia de Guanabara, ligando as cidades do Rio de Janeiro e Niterói.
O conceito de seu projeto remonta a 1875, visando a ligação entre os dois centros urbanos vizinhos, separados pela baía de Guanabara ou por uma viagem terrestre de mais de 100 km, que passava pelo município de Magé. À época havia sido concebida a construção de uma ponte e, posteriormente, de um tunel.
Entretanto, somente no século XX em 1963, foi criado um grupo de trabalho para estudar um projeto para a construção de uma via rodoviária. 


Na construção da Ponte Rio–Niterói, inaugurada em março de 1974, alguns dos seus 10.500 operários morreram afogados na baía de Guanabara. 

Aí começa a lenda...

Durante a construção deste gigantesco monumento, de certo houve muitos acidentes, alguns graves, provocando até a morte de operários. Às vezes por algum descuido um homem caia do alto da ponte, outro caia da embarcação.... Cerca de 5 funcionários morrem atropelados na Av. Brasil quando faziam sinalização da obra.

Destas mortes criou-se uma das mais famosas LENDAS URBANAS do RJ: Durante a fundação submarina da ponte, vários mergulhadores teriam se afogado. Reza a lenda que  existem nas colunas da ponte, centenas e centenas de homens “nordestinos’ que por inexperiência teriam ficado presos e ali morreram no concreto”.

Hoje quando se caminha na parte interna da ponte, (área restrita a manutenção), é possível ouvir os gritos de socorro dos fantasmas daqueles pobres trabalhadores.. Há quem diga que tudo isso é verdade: Ou não... Mas LENDA URBANA é isso; se inspira em fatos reais e sobrevive da imaginação e credibilidade que lhe é dada pelas pessoas.

Procurando na internet, vi esse depoimento da blogueira Leila Franca, que morando no Rio, precisava atravessar a ponte todos os dias para estudar em Niteroi.

" Quando eu voltava, já eram umas 11h da noite e muitas vezes vi todas as pistas vazias. Só eu lá.

Às vezes o vão central ficava dentro de uma nuvem de neblina. Eu ia dirigindo e de repente entrava dentro da nuvem. Era um cenário estranho. Tudo branco. Pensava que se fantasmas existissem, então alguns deles deviam morar bem ali.

Eu tinha uma sensação inexplicável ao me aproximar do ponto mais alto da ponte. Alguma coisa na atmosfera mudava ao atingir aquela área. Quando voltava tarde da noite, sozinha, costumava me distrair conversando comigo mesma em voz alta. Passava a vida à limpo e até cantava a toda altura. Era como estar sozinha no mundo.

Com o tempo, passei a cumprimentar os supostos fantasmas, assim que passava pelo local. "Alô! Alô! Estou na área! Vou passar no meio de vocês! Não precisa se assustar! Segurem o vendaval por 10 minutos!"

Fiz isso durante muito tempo brincando, feliz da vida. Mas uma vez, quando eu tinha acabado de passar pelo vão central em direção ao Rio, num ponto onde podia ver quase toda a pista, deserta aquela hora da noite, um carro preto passou por mim numa velocidade tão grande, que eu não vi ele se aproximando e creio que no tempo de um piscar de olhos desapareceu no horizonte. Eu devia estar a 90 km/h. E aquele automóvel? Estava a 200 km/h?

Até hoje tenho dúvidas se aquele carro era mesmo de verdade."
 
Verdade? Mentira? Eu quando passo pela ponte fico so olhando pra frente, morro de medo daquele marzão la embaixo. Agora que eu to sabendo desses "fantasmas", acho que não volto a Niterói tão cedo.


Fontes:
Wikipedia
Blog da Leila Franca
Sobrenatural.org/lendaurbana

domingo, 13 de janeiro de 2013

Zumbis da Quinta da Boavista



Logo Zumbi in Rio Zumbi in RioSe você sempre sonhou em ser um caçador de zumbis, essa é a sua chance. No dia 02 de março, às 11 horas, vai acontecer o segundo Zumbi in Rio, na Quinta da Boa Vista. A gincana pretende reunir os aficionados pelos mortos-vivos, num encontro cheio de diversão e humor. Os participantes vão poder realizar brincadeiras, “zumbificação” e escolher as melhores fantasias, com direito a muitas surpresas.
O evento surgiu em agosto de 2012, criado pelos organizadores do “Encontro Walkers”. O nome escolhido faz referência ao “Rock in Rio”, em tom de paródia. A primeira edição do Zumbi in Rio ocorreu no dia 18 de agosto do ano passado, e reuniu cerca de 170 pessoas.
Quem for ao encontro, vai poder jogar o “pique-pega survivor”, no qual um zumbi vai infectando os participantes, até que no final somente uma pessoa sobreviva. Além disso, vai haver o concurso de fantasias, maquiagem/zumbificação na hora e o RPG Apocalipse. Se você queria ver o Apocalipse Zumbi, não perca!


Quem ficou interessado pode curtir a pagina do facebook:
 

https://www.facebook.com/ZumbiInRio