Google+ Badge

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Largo do Bicão


Voce conhece a Praça Rubey Wanderley na Vila da Penha? Não? Mas com certesa Largo do Bicão voce conhece.

No entroncamento das avenidas Meriti e Brás de Pina, encontra-se o Largo do Bicão. O largo tem esse nome devido ao problema da falta de água que assolava o Rio de Janeiro do Seculo 19. Era nesse local que moradores iam buscar água, numa grande torneira pública. 

Segundo o fundador da Biblioteca Comunitária Tobias Barreto,  Evando dos Santos, o imperador D. Pedro II já passou pelo Largo do Bicão e foi ele quem mandou instalar a bica que deu nome ao local.
Outro detalhe histórico lembrado por Evando é que a região do Largo do Bicão já abrigou um quilombo de negros. A Estrada do Quitungo, que passa por Brás de Pina, tem esse nome em referência ao quitungo, uma cesta usada pelos negros para transportar alimentos.




 
                            Foto de 1928, onde vemos o aspecto rural do Largo do Bicão 
 
 "A palavra Penha significa pedra e foram exatamente as pedras do Rio Irajá as responsáveis pela formação da VILA DA PENHA. É que elas formavam verdadeiras barreiras e se transformaram em obstáculos aos colonizadores, que navegavam com destino a IRAJÁ. Eles eram obrigados a interromper a viagem, onde é hoje a VILA DA PENHA, e prosseguir por terra. Com o tempo a VILA DA PENHA transformou-se em PORTO para as embarcações e parada obrigatória para a penetração rumo ao interior. Foi aí que começaram a surgir as pequenas casas, pomares e hortas que caracterizam a VILA DA PENHA a partir de 1600.
A expansão do bairro começou por volta de 1920, quando já existiam algumas fazendas com ENGENHOS DE AÇÚCAR e aguardente na região. Vários proprietários iniciaram, por conta da falência do sistema de produção de açúcar, o desmembramento e loteamento de seus terrenos. O LARGO DO BICÃO era um ponto tradicional, uma enorme BICA era utilizada para abastecer os lavradores e também cavalos e burros que serviam às explorações do interior. 

Atualmente, o largo é composto por uma praça cercada de comércio, bancos, supermercados,  academias, escolas.  



Fonte: Jornal O Dia.








2 comentários:

  1. Nunca imaginei que um dia a Vila da Penha foi um Porto para as embarcações dos colonizadores. Realmente a passagem dos séculos tranforma totalmente a geografia dos locais. Tão próximo de mim que praticamente moro na Penha a vida toda essa matéria me surpreende. Bom saber.

    ResponderExcluir
  2. Muito boa esta matéria,realmente saber que esta região foi ponto importante no progresso do Rio de Janeiro é muito legal.Ainda bem que a falta d'água foi coisa do século 19.

    ResponderExcluir