Google+ Badge

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Fabrica de Tecidos Confiança



                                             "Peguei o bonde", "passei" no Boulevard
                                              E a "Confiança" é doce recordar 
                                             "Os três apitos" cantados por Noel
                                              Ainda ecoam pela Vila Isabel "


Samba-enredo da Vila Isabel de 1994:
Muito prazer! Isabel de Bragança e Drumond Rosa da Silva, mas pode me chamar de Vila

Companhia de Fiação e Tecidos Confiança Industrial era uma fábrica de tecidos localizada em Aldeia Campista, entre os bairros de Vila Isabel e do Andaraí, na zona norte da cidade do Rio de Janeiro, fundada em 1885.


 
Em virtude da criação da fábrica, existem ainda hoje dezenas de casas que formam a vila operária em volta desta, que participaram ativamente do desenvolvimento local. A fábrica e o casario em frente e no entorno da mesma fazem parte da área de proteção do ambiente cultural, desde 1993, através da lei nº 2.038, de 19 de novembro.[1]
Durante a Segunda Guerra Mundial, a Fábrica Confiança foi uma das fornecedoras de tecidos para a confecção dos uniformes das Forças Armadas do Brasil. Outra grande fornecedora foi a Companhia Nova América S/A, localizada no bairro de Del Castilho, no subúrbio carioca. Depois da guerra, em 1964, a Fábrica Confiança fechou as suas portas.
O compositor Noel Rosa deu grande destaque em suas músicas aos três apitos que tocavam na fábrica.
Atualmente, nas instalações da antiga Fábrica Confiança, funciona o Hipermercado Extra-Boulevard. A fábrica também mantinha o clube Confiança Atlético Clube que disputou o campeonato carioca na época do amadorismo, e no profissionalismo, a Terceira Divisão em 1990 e a Segunda em 1991, sendo em seguida extinto. A sede e a praça de esportes, localizadas à rua Silva Teles, foram cedidas à escola-de-samba Acadêmicos do Salgueiro.

Fonte: Camara municipal do Rio de Janeiro



                                            Acima foto nos dias de hoje, abaixo foto de 1928



Acima vemos a foto de rua da vila operária da fábrica. Prática muito comum as grandes fábricas construirem vilas para seus empregados. Haviam muitas espalhadas pelo Rio.
A vila operária passou por reformas, foi toda recuperada e por lá moram os herdeiros dos antigos funcionários da Confiança.


Com a arquitetura tombada, conhecido como Boulevard, pertenceu primeiramente aos Supermercados Disco, depois Paes Mendonça e hoje pertence ao Hipermercado Extra do grupo Pão de Açucar.
Uma curiosidade, como diz o samba enredo da Vila Isabel, ainda hoje o apito da fabrica toca todos os dias no antigo horario de funcionamento da fabrica.  



7 comentários:

  1. Luix, querido!

    Adorei ler seu blog! Muito legal, para mim, ler coisas sobre a história de determinado lugar. Além do mais, você colocou música no meio quando citou Noel Rosa e uma música sua que adoro: "Três apitos" - pronto, me senti convidada a comentar.

    Parabéns e continue nesse vício que é a escrita.
    Grande abraço,

    Sâmia.

    ResponderExcluir
  2. Mais uma grande informação do nosso Rio Antigo.Parabéns!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Esta antiga fabrica de tecidos bem que poderia ter uma destinação que fosse além de um super mercado. Nada contra funcionar ali um ou mais estabelecimentos comerciais. Porém, acho que um ponto de cultura no local contando a história do prédio ou qualquer outra coisa pra comunidade seriam opções adequadas a exemplo do Centro Coreográfico que hoje funciona numa outra indústria bem pertinho dali na Tijuca: Rua José Higino, 115 – Tijuca - Tel.: (21) 25701247. Aberto de segunda-feira a domingo, das 9h às 22h.

    ResponderExcluir
  4. Em tempo! Até hoje se vê as antigas casas da Vila Operária. Um patrimônio da Zona Norte que tem resistido à expansão imobiliária que, nas décadas passadas, impactou Grajaú, Tijuca e Vila Isabel através de altos edifícios.

    ResponderExcluir
  5. Caro Rodrigo, pena que não visitou o casarão que fica dentro do estacionamento, ele também é tombado e oferece cursos para a comunidade, inclusive de música.Vale a pena conferir. Vale ressaltar que um bairro precisa de vida comercial e nem tudo pode ser apenas centro social e memória no falido Rio de Janeiro.

    ResponderExcluir
  6. Luiz Carlos Boa noite, sou estudante de arquitetura, você sabe me dizer se consigo em algum site o sistema estrutural em plantas cortes, materialidade e etc, da Fabrica ?

    ResponderExcluir
  7. Luiz Carlos Boa Tarde,sou estudante de arquitetura e estou fazendo um projeto de restaura para essa fabrica, você sabe me dizer se consigo em alguma forma um site ou pagina contendo imagens ou arquivos do sistema estrutural em plantas cortes, materialidade e etc, da Fabrica Confiança?

    ResponderExcluir